Professor assassinado por defender a liberdade
Internacional

Professor assassinado por defender a liberdade

Foi em França, mas diz-nos respeito.

Samuel Paty foi barbaramente assassinado por ensinar a liberdade.

Era professor de História e nas suas aulas falava-se de comportamento cívico, de liberdade de expressão. No início do mês, o professor tinha mostrado aos seus alunos caricaturas do profeta Maomé, no âmbito de uma aula sobre liberdade de expressão.

Exprimimos o nosso horror perante a barbárie e o desrespeito pelos valores principais da democracia e da liberdade.

Solidarizamo-nos com toda a comunidade educativa da França que vive dias especiais de afirmação dos valores em que assenta a República francesa. Atos desta natureza merecem a repulsa de todo o mundo.

Voltar ao topo