Sérgio Tenreiro de Magalhães, no webinar AFIET/FNE: “O teletrabalho durante a pandemia é diferente do que devemos promover”
Atualidade

Sérgio Tenreiro de Magalhães, no webinar AFIET/FNE: “O teletrabalho durante a pandemia é diferente do que devemos promover”

O canal4 da AFIET - Associação para a Formação e Investigação em Educação e Trabalho, promovida pela Federação Nacional da Educação (FNE) e pelos seus Sindicatos membros, realizou na passada sexta-feira, 29 maio de 2020, uma conferência digital com o tema “Os Desafios do Teletrabalho – As necessidades, os Requisitos, A (in)segurança”, em que ficou evidente que o teletrabalho implantado durante a pandemia não é exatamente o que devemos promover.

Esta iniciativa contou como orador convidado com o Professor Sérgio Tenreiro de Magalhães, Professor Associado no Champlain College, nos EUA, desde 2018, onde assume as funções de Chair of Cybersecurity da Divisão online e de Program Director das licenciaturas em Cybersecurity e em Software Development e do Mestrado em Digital Forensic Science.

Perante cerca de 200 participantes, Sérgio Tenreiro de Magalhães começou por sublinhar que não podemos considerar teletrabalho "apenas como mudar de lugar de trabalho. Há desafios e dinâmicas que nos vão ou não tornar mais produtivos", sublinhando depois vários problemas pelos quais passa quem trabalha em casa como "as questões psicossociais, em que é necessário estabelecer um plano de comunicação com colegas; as questões económicas que abrangem os custos dos equipamentos e da energia e também a parte tecnológica, onde é necessário ter quem garanta a segurança e os requisitos de produtividade”.

Outros temas em conversa passaram pela proteção de dados, a privacidade familiar de cada um, tendo sempre em conta que todas as dúvidas agora levantadas sobre o tema do teletrabalho resultam de uma emergência (COVID-19), sendo fundamental perceber que lições poderemos tirar de tudo isto por que passamos atualmente.

No domínio da Educação foram debatidas várias questões pelos participantes, que versaram em torno da questão da compra dos equipamentos para professores e alunos, da garantia da equidade na rede de internet pelo país, da segurança de cada aula e da relação estabelecida online, assim como da vantagem de uniformização da escolha da plataforma de trabalho mais segura. No entanto referiu que muitos dos problemas de que se fala nas diversas plataformas resultam sobretudo de uma deficiente utilização.

Sérgio Tenreiro defendeu ao longo de todo o webinar a ideia de que "é muito importante que se comece a aposta na formação em cibersegurança. Primeiro nos professores e depois aos alunos mais novos, de forma a termos uma nova geração muito mais preparada para todos os desafios perigosos que o mundo digital vai criando".

Para este especialista, “não se pode falar em cidadania sem se falar de cibersegurança nas redes sociais”, pelo que foi perentório em afirmar “que não recomendaria ensino a distância para crianças e jovens”.

Veja aqui todo o webinar “Os desafios do teletrabalho”


Voltar ao topo