A urgência é proteger a saúde de todos e garantir que há respostas para as necessidades básicas da população.
Atualidade

A urgência é proteger a saúde de todos e garantir que há respostas para as necessidades básicas da população.

Todos percebemos as grandes dificuldades com que toda a sociedade está hoje confrontada, no nosso País e generalizadamente em todo o mundo.

Mas o respeito pela vida humana impõe que as autoridades reconheçam que os trabalhadores só devem ser mobilizados para garantir a resposta a necessidades essenciais, devendo generalizar-se a indicação de que em princípio as pessoas devem permanecer em suas casas.

O mundo, o nosso país, está a passar por uma crise sem precedentes.

Hoje, a urgência é proteger a saúde de todos e garantir que há respostas para as necessidades básicas da população.

Ora, os trabalhadores estão totalmente mobilizados com estes objetivos.

Os sindicatos da FNE estão todos a trabalhar, a todos os níveis, para ajudar todos os trabalhadores da educação, docentes e não docentes, nestas circunstâncias em constante mudança.

Em todos os setores que respondem às necessidades vitais, são cada vez mais difíceis as condições em que os trabalhadores estão envolvidos. Este é particularmente o caso de trabalhadores da saúde, funcionários do governo, trabalhadores dos transportes, trabalhadores da energia, bombeiros, trabalhadores do comércio, logística, processamento de alimentos, água, produtos de limpeza, educadores de infância e professores dos filhos daqueles que trabalham em serviços essenciais.

Neste momento, a palavra essencial e mais forte deve ser de saudação à sua dedicação e, em muitos casos, ao seu heroísmo. Os sindicatos da FNE estão mobilizados ao lado de todos os trabalhadores que representam, para garantir que os seus direitos são respeitados e são determinadas adequadas condições de trabalho e de proteção.

A crise atual traz à evidência o efeito nocivo dos cortes no orçamento do estado aplicados ao longo dos anos e generalizadamente para os serviços público- a Educação incluída -, mas especialmente para os nossos sistemas de saúde e proteção social. A crise atual vem demonstrar a importância e o papel vital dos serviços públicos. É por isso inaceitável que se tenham promovido ou venham a ser retomadas medidas de redução de investimento nos serviços públicos.

No atual contexto, é essencial garantir a preservação dos rendimentos das Famílias. É por essa razão que se entende que o governo deve garantir que todos os salários dos trabalhadores sejam mantidos integralmente, independentemente de sua situação.

 

Porto, 18 de março de 2020

 

João Dias da Silva

Secretário-Geral da FNE

Voltar ao topo