UGT exige mais e melhores respostas a quem vive do seu trabalho
Atualidade

UGT exige mais e melhores respostas a quem vive do seu trabalho

A UGT tomou boa nota da intervenção do Primeiro-Ministro de 5 de Setembro, anunciando um pacote de medidas excepcionais visando mitigar os efeitos do enorme aumento da inflação sobre os portugueses, aumento esse que coloca em causa o poder de compra e, em muitos casos, a própria subsistência de muitas famílias.

É um pacote essencial e bem-vindo, ainda que não possa deixar de ser considerado tardio e claramente insuficiente, algo que é tão mais evidente quando analisamos os conjuntos de medidas que foram sendo paulatinamente assumidos por outros países, mais precoces e mais intensos na sua intervenção.

A UGT regista positivamente os factos da generalidade das medidas contribuírem para um alívio da tesouraria das famílias, de abrangerem uma classe média habitualmente excluída, de serem assumidas em áreas com peso significativo nessa tesouraria, e de, numa opção diferente da do passado, os apoios serem canalizados de forma directa para as pessoas.


Leia a posição da UGT na íntegra
Voltar ao topo