Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies. Saiba Mais
FNE reúne com PS na Assembleia da República
O Grupo Parlamentar do Partido Socialista (PS) recebe amanhã, 6ª feira, às 16h00, uma delegação da Federação Nacional da Educação (FNE), na Assembleia da República (Edifício Novo). Após as audições com PSD, CDS, BE e PAN, a FNE vai agora reunir com o PS na sequência da situação de impasse a que chegaram as negociações com o Ministério da Educação a propósito de todas as matérias que constavam da Declaração de Compromisso assinada em 18 de novembro passado. Este encontro justifica-se ainda mais pelo facto de a própria Assembleia da República ter aprovado, em dezembro, uma Recomendação ao Governo para que, nas negociações para a recomposição da carreira, seja considerado todo o tempo de serviço congelado. A FNE irá reforçar aos elementos do PS a necessidade de que estes intervenham junto do Governo, no sentido de cumprir inteiramente a Recomendação aprovada e que consta da Resolução nº 1/2018 sobre a recuperação integral do tempo de serviço congelado. A delegação da FNE leva ainda para este encontro outras matérias que constam da declaração de compromisso, bem como outras ainda que afetam todos quantos trabalham em Educação. Porto, 19 de abril de 2018
FNE reúne com PS na Assembleia da República
O Grupo Parlamentar do Partido Socialista (PS) recebe amanhã, 6ª feira, às 16h00, uma delegação da Federação Nacional da Educação (FNE), na Assembleia da República (Edifício Novo). Após as audições com PSD, CDS, BE e PAN, a FNE vai agora reunir com o PS na sequência da situação de impasse a que chegaram as negociações com o Ministério da Educação a propósito de todas as matérias que constavam da Declaração de Compromisso assinada em 18 de novembro passado. Este encontro justifica-se ainda mais pelo facto de a própria Assembleia da República ter aprovado, em dezembro, uma Recomendação ao Governo para que, nas negociações para a recomposição da carreira, seja considerado todo o tempo de serviço congelado. A FNE irá reforçar aos elementos do PS a necessidade de que estes intervenham junto do Governo, no sentido de cumprir inteiramente a Recomendação aprovada e que consta da Resolução nº 1/2018 sobre a recuperação integral do tempo de serviço congelado. A delegação da FNE leva ainda para este encontro outras matérias que constam da declaração de compromisso, bem como outras ainda que afetam todos quantos trabalham em Educação. Porto, 19 de abril de 2018
Conferência de Imprensa FNE/FESAP sobre a greve dos Não Docentes do dia 4 de maio de 2018
O Secretário-Geral da Federação Nacional da Educação (FNE), João Dias da Silva e o Secretário-Geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), José Abraão, realizam uma Conferência de Imprensa conjunta no dia 20 de abril, às 14h30m, na sede da FESAP, na Rua Damasceno Monteiro, 114, em Lisboa, sobre a greve dos Não Docentes marcada para dia 4 de maio. Recorda-se que a FNE e a FESAP entregaram no passado dia 12 de abril um pré-aviso de greve dos trabalhadores não docentes, constituindo esta decisão a consequência da falta de reconhecimento relativamente às sucessivas propostas e preocupações que têm sido apresentadas à tutela relativamente aos Trabalhadores Não Docentes para uma escola de qualidade. Já no final do ano passado, e na sequência do debate promovido a propósito da Petição que a FNE e FESAP apresentaram para o restabelecimento das carreiras dos trabalhadores não docentes, a Assembleia da República, em 15 de dezembro de 2017, aprovou uma Resolução que recomendava ao Governo que, em negociação com as organizações sindicais, restabeleça as carreiras dos trabalhadores não docentes. Por outro lado, a FNE e a FESAP sublinham desde há muito que a precariedade não pode continuar a ser a marca associada a estes Trabalhadores, aos quais deve ser reconhecido o direito a vinculação na sequência de duas contratações sucessivas, eliminando-se de vez todas as situações precárias que garantem o funcionamento regular das escolas. Ambas as organizações sindicais exigem igualmente aumentos salariais justos que travem a degradação dos salários. É por isso que, verificada a indiferença do Ministério da Educação e do Governo em relação a estes problemas, a FNE e a FESAP consideram essencial dar voz à insatisfação destes Trabalhadores, convocando uma Greve Nacional de Trabalhadores Não Docentes para o dia 4 de maio de 2018. Convidam-se os órgãos de comunicação social a estarem presentes nesta iniciativa. Lisboa, 18 de abril de 2018
Conferência de Imprensa FNE/FESAP sobre a greve dos Não Docentes do dia 4 de maio de 2018
O Secretário-Geral da Federação Nacional da Educação (FNE), João Dias da Silva e o Secretário-Geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), José Abraão, realizam uma Conferência de Imprensa conjunta no dia 20 de abril, às 14h30m, na sede da FESAP, na Rua Damasceno Monteiro, 114, em Lisboa, sobre a greve dos Não Docentes marcada para dia 4 de maio. Recorda-se que a FNE e a FESAP entregaram no passado dia 12 de abril um pré-aviso de greve dos trabalhadores não docentes, constituindo esta decisão a consequência da falta de reconhecimento relativamente às sucessivas propostas e preocupações que têm sido apresentadas à tutela relativamente aos Trabalhadores Não Docentes para uma escola de qualidade. Já no final do ano passado, e na sequência do debate promovido a propósito da Petição que a FNE e FESAP apresentaram para o restabelecimento das carreiras dos trabalhadores não docentes, a Assembleia da República, em 15 de dezembro de 2017, aprovou uma Resolução que recomendava ao Governo que, em negociação com as organizações sindicais, restabeleça as carreiras dos trabalhadores não docentes. Por outro lado, a FNE e a FESAP sublinham desde há muito que a precariedade não pode continuar a ser a marca associada a estes Trabalhadores, aos quais deve ser reconhecido o direito a vinculação na sequência de duas contratações sucessivas, eliminando-se de vez todas as situações precárias que garantem o funcionamento regular das escolas. Ambas as organizações sindicais exigem igualmente aumentos salariais justos que travem a degradação dos salários. É por isso que, verificada a indiferença do Ministério da Educação e do Governo em relação a estes problemas, a FNE e a FESAP consideram essencial dar voz à insatisfação destes Trabalhadores, convocando uma Greve Nacional de Trabalhadores Não Docentes para o dia 4 de maio de 2018. Convidam-se os órgãos de comunicação social a estarem presentes nesta iniciativa. Lisboa, 18 de abril de 2018
FNE recebida pelo PAN na Assembleia da República
A Federação Nacional da Educação (FNE) foi hoje recebida na Assembleia da República pelo Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN). A Coordenadora da Secretaria de Ação Jurídica do PAN, Cristina Rodrigues e os assessores parlamentares Sara Martins e Márcio da Quadrada foram quem recebeu a delegação da FNE constituída pelos Secretários-Nacionais Josefa Lopes, Cristina Ferreira e Sota Martins. Sendo esta a primeira reunião de sempre entre o PAN e a FNE, o encontro centrou-se principalmente na apresentação por parte da FNE das preocupações e posições assumidas em matérias de extrema relevância para todos os profissionais da educação. Após uma breve apresentação histórica, a FNE sublinhou o descontentamento por as negociações com o Ministério da Educação, a propósito da recomposição da carreira por efeitos da recuperação do tempo de serviço congelado estarem bloqueadas. Foi também levado à mesa o tema da componente letiva e não letiva e do desgaste profissional dos docentes, assim como o envelhecimento do corpo docente e as alterações no Estatuto da Carreira Docente (ECD). Os Não Docentes foram também tema com Cristina Ferreira a reforçar a ausência de valorização do trabalho dos Não Docentes por parte do Governo, justificando depois a greve do próximo 4 de maio como forma de dar voz à insatisfação relativamente à indiferença do Ministério da Educação e do Governo em relação aos problemas destes trabalhadores. O PAN garantiu ir estudar e analisar todas as situações apresentadas. A FNE vai estar presente no próximo dia 20, às 16 horas, na Assembleia da República, para reunião com o Grupo Parlamentar do PS.
João Dias da Silva eleito para o Bureau de Direção do CESE
João Dias da Silva foi hoje eleito, em representação da UGT, para o Bureau de direção do CESE (Comité Económico e Social Europeu), único representante português neste órgão. É com muito orgulho e expectativa que a UGT encara este desafio, mas sobretudo com enorme sentido de responsabilidade para o próximo período do mandato, que se prolonga até setembro de 2020. Semestre europeu para o crescimento e emprego; Implementação do Pilar europeu dos direitos sociais; 100 anos da OIT e o futuro do trabalho; Os desafios da Europa pós-Brexit; Os desafios da economia digital, a robótizaçao e a automação; Os empregos do futuro; A solidariedade europeia numa Europa mais próxima dos cidadãos, tolerante e humanista; As respostas à imigração e às consequências das guerras, ao terrorismo e à violência, ao racismo e à xenofobia; Trabalho digno e direitos humanos; O combate às desigualdades numa sociedade individualista e egoista; A capacidade do movimento sindical se reinventar; O reforço do diálogo social e político como portas abertas para a paz social e à procura de compromissos; Estes são os caminhos do CESE que enfrentamos. Acredito que o João Dias da Silva dignificará os trabalhadores portugueses e valorizará o papel da UGT no conjunto das nações europeias alinhadas no CESE. Tal como demonstrámos a nossa satisfação quando da eleição de Gonçalo Lobo Xavier para a vice presidência do CESE em 2015, é com a mesma atitude humilde, mas proactiva, que encaramos esta eleição. Carlos Silva Secretário Geral - UGT 18/04/2018
PAN recebe FNE na Assembleia da República
O Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) recebe amanhã, 4ª feira, às 10h00, uma delegação da Federação Nacional da Educação (FNE), na Assembleia da República. Após as audições com PSD, CDS e BE, a FNE vai agora reunir com o PAN na sequência da situação de impasse a que chegaram as negociações com o Ministério da Educação a propósito de todas as matérias que constavam da Declaração de Compromisso assinada em 18 de novembro passado. Este encontro justifica-se ainda mais pelo facto de a própria Assembleia da República ter aprovado, em dezembro, uma Recomendação ao Governo para que, nas negociações para a recomposição da carreira, seja considerado todo o tempo de serviço congelado. A FNE irá reforçar aos elementos do PAN a necessidade de que estes intervenham junto do Governo, no sentido de cumprir inteiramente a Recomendação aprovada e que consta da Resolução nº 1/2018 sobre a recuperação integral do tempo de serviço congelado. A delegação da FNE leva ainda para este encontro outras matérias que constam da declaração de compromisso, bem como outras ainda que afetam todos quantos trabalham em Educação.Porto, 17 de abril de 2018
Évora recebe Conferência sobre Educação a 21 de abril
O Évora Hotel vai receber no próximo dia 21 de abril, sábado, a quarta Conferência do Ciclo de Conferências 2018, que a FNE organiza em conjunto com a UGT, CEFOSAP, ISCTE-IUL, CBS e a UFP e que contará com a participação de Arnaldo Frade (Delegado Regional do IEFP Alentejo) e de Bravo Nico (Coordenador do Departamento de Pedagogia e Educação da Universidade de Évora) como conferencistas convidados. Será sobre o lema "Educação e Formação para um desenvolvimento sem desigualdades" que esta iniciativa vai decorrer ao longo da manhã, com a sessão de abertura, às 9h30, a estar a cargo do Secretário-Geral da FNE, João Dias da Silva, de Josefa Lopes, Presidente do SDPSul e também de Carlos Silva, Secretário-Geral da UGT. Em seguida, às 10h, o convidado Arnaldo Frade dará início ao debate que terá como comentadores Nuno Alas (Ex diretor do Centro de Formação Profissional de Évora e Técnico Superior do IEFP), José Ramalho (Diretor do Centro Distrital de Évora / Instituto da Segurança Social), Christian Santos (Diretor da Mecachrome de Évora) e Vanessa Pereira (Responsável pelo Departamento de Recursos Humanos da Tyco). Pelas 11h40, Bravo Nico tomará a palavra para apresentar uma comunicação que será comentada por Agostinho Arranca (Professor do Agrupamento de Escolas de Vila Viçosa), Lurdes Brito (Diretora do Agrupamento de Escolas nº 4 de Évora), António Lula (Vice-Presidente da Fundação Alentejo) e Luís Romão (Professor no Agrupamento de Escolas de S. Lourenço - Portalegre). Após este debate dar-se-á a sessão de encerramento que fica a cargo de Ana Isabel Machado (Diretora do Centro Local do Alentejo Central da ACT), Joaquim Gomes, Presidente da UGT-Évora e de Lucinda Manuela Dâmaso, Presidente da UGT. Na quarta Conferência do Ciclo de Conferências o evento chega ao Alentejo, mas vai ainda percorrer mais cidades portuguesas durante o ano de 2018, pretendendo-se com esta iniciativa debater, sob os vários pontos de vista, formas da Educação, como combater as falhas sociais que proporcionam desigualdades e que fatores podem ser melhorados de forma a minimizar essa diferença existente. Discutir o papel da Educação e da Formação na procura pela igualdade é, portanto, o grande mote destas sessões que decorrem durante o ano de 2018. De destacar também que a UGT uniu-se a esta iniciativa contando com ela também como parte do assinalar dos 40 anos da central sindical, pois ao longo deste tempo a União Geral de Trabalhadores sempre considerou a Educação e Formação como base fundamental para uma sociedade melhor. Os participantes estarão disponíveis no final da conferência para declarações à comunicação social, nomeadamente o Secretário-Geral da FNE e o Secretário-Geral da UGT. Saiba tudo sobre o Ciclo de Conferências 2018 em www.fne.pt Porto, 17 de abril de 2018
Ver todas as notícias
Atualidade
João Dias da Silva "Sociedade sabe que professores têm razão"
2018-04-09
João Dias da Silva
As organizações sindicais têm hoje uma reunião para definir as ações de luta no terceiro período caso não haja acordo sobre a contagem do tempo de serviço. Dias da Silva, da Federação Nacional da Educação, espera que António Costa receba os professores e que o ministério dialogue, senão aponta para uma grande manifestação nacional e não descarta as greves às avaliações.

(...)

In Diário de Notícias - 09/04/2018